segunda-feira, 20 de maio de 2019

Divaldo Franco na Europa Viena, Áustria

19 de maio de 2019

Neste domingo, 19 de maio de 2019, dando prosseguimento ao Congresso Espírita de Viena, organizado pela Sociedade de Estudos Espíritas Allan Kardec, Divaldo Franco abordou a temática dos conflitos existenciais, asseverando que o ser humano está sempre em renovação emocional e que cada ser é o somatório de suas várias experiências.
Discorrendo sobre a figura incomparável de Jesus, Cristo de Deus, o experiente orador ressaltou que o Mestre Galileu assim se posicionava, explicando que Eu e o Pai somos Uno, estamos unidos, Eu sou o veículo do Pai. Decodificando a máxima, Divaldo Franco asseverou que somos unos porque estamos dentro da mesma faixa vibratória, uma vez que jamais poderíamos nos unir de forma a sermos um só ser, pois seria a perda da individualidade.
Ao adentrar-se no eixo Ego-Self, explicou que o Ego deve se diluir no Self, formando uma unidade, e os dois, inseridos no conjunto, o indivíduo mantém a sua individualidade, assim, somos um dentro do conjunto. Facilitando o desenvolvimento do autoconhecimento, o Embaixador da Paz no Mundo discorreu sobre as cinco características do ser humano, segundo Mira y Lopez, (1896-1964), médico psiquiatra e psicólogo: Personalidade, Conhecimento, Identificação, Consciência e Individualidade.
O Arauto do Evangelho, conduzindo os espectadores pelos caminhos do autoconhecimento, frisou que as criaturas humanas implicam com situações e pessoas por que querem matar nos outros os seus próprios conflitos. Esclareceu que a Psicologia Profunda afirma que cada alma é uma alma, salientando que não se deixem enganar com a persona, pensar antes na alma.
Após breve intervalo, Cristiane Beira apresentou a temática: A excelência do Amor. Baseada na obra Conflitos Existenciais, da benfeitora Joanna de Ângelis, Cristiane abordou algumas características da criatura humana, tais como, Desejos, Valores e Atavismos, ou seja, aquilo que atrai, que ensinam como viver e que dizem quem somos. É impressionante a clareza com que a palestrante conduziu os atentos assistentes a compreenderem as intrincadas questões do Ego e do Self. Foi uma verdadeira aula de Psicologia Profunda, perfeitamente ao alcance de todos, tamanha a capacidade de síntese e a simplicidade com que Cristiane efetuou as abordagens.
Prosseguindo na direção da Aquisição da Consciência, do Animal (instinto) para o Ser Humano (Ego), e deste para o ser Espiritual (Self), e por que dotada de muita habilidade, a lúcida oradora conduziu os seus ouvintes ao encontro consigo mesmo, questionando: O que é o Ego em mim? Eu sou o Ego? O Ego me administra? Onde está o Self?
Destacou a necessidade do entrosamento entre o Ego e o Self, esclarecendo que quanto mais certeza se tem, mais o Ego domina, o Self está frequentemente em dúvida, aberto à novas possibilidades, nos levando a viver na terra, lembrando que os verdadeiros valores são os do Espírito, ou seja viver na terra, sem ser da terra. Os presentes transpareciam estar extasiados com a capacidade desta trabalhadora de Jesus, ao tornar acessíveis, de fácil compressão, essas questões tão importantes para a evolução do ser humano.
No período da tarde ocorreu o momento de perguntas aos expositores do congresso, onde muitas dúvidas foram sanadas e pontos específicos foram aprofundados. Em sequência, Divaldo Franco conduziu os presentes em uma visualização terapêutica, encaminhando o magno evento para o seu encerramento. No momento final, ocorreram os agradecimentos. Foram dias de grandes confraternizações, oportunidades indizíveis de crescimento interior, mergulhados em uma psicosfera de fraternidade e amor, poucas vezes experimentada. Pela realeza e profundidade da atividade, todos já estão, desde agora, aguardando o ano vindouro, pois que esta nobre atividade, em chegando a Viena pela primeira vez, veio para ficar.
E o semeador prossegue..., com uma folga nesta segunda-feira, para na terça-feira se dirigir à vizinha Bratislava, na Eslováquia.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno

domingo, 19 de maio de 2019

Divaldo Franco na Europa Viena, Áustria

18 de maio de 2019

Neste 18 de maio de 2019, sábado, retornando à Viena, capital da Áustria, Divaldo Franco, a convite dos amigos do Grupo Allan Kardec, realizou o Seminário Viver à Luz da Psicologia Profunda,abordando o tema Conflitos Existenciais e o Vazio Existencial.
O ínclito orador Divaldo Franco começou fazendo referência à Carl Gustav Jung (1875-1961), psiquiatra suíço e fundador da psicologia analítica, que asseverava: por mais profundo seja o teu conhecimento, por sabedoria, toda vez que estiveres diante de uma alma, lembra que estás diante de uma alma. O conferencista prosseguiu aprofundando o estudo da psicologia profunda, que estuda o ser, estabelecendo o ciclo da existência, calcado nos ensinamentos da Veneranda Benfeitora Joanna de Ângelis. O lúcido orador foi descrevendo todas as fases de desenvolvimento da criatura humana, da concepção à velhice, questionando: Será que a psique desaparece com a destruição dos neurônios cerebrais, ou permanece imutável?
Discorrendo sobre a quarta força em psicologia, a transpessoal, novamente inquiriu: Será a morte o fim, e o berço o início da vida? Dirimindo dúvidas, o Semeador de Estrelas destacou que todos somos herdeiros de nós mesmos, apresentando grandes esclarecimentos acerca da esquizofrenia, adentrando-se nas patologias envolvendo as obsessões. 
O ser humano perdeu o contato consigo mesmo. O contato humano é cada vez mais raro. Há necessidade de se fazer a grande volta para si mesmo. Ao concluir as atividades da manhã, o Seareiro do Cristo advertiu aos atentos ouvintes que acompanhavam, sedentos de aprendizados profundos, que não é proibido ser feliz, que todos devem substituir a queixa pela alegria de viver.
Após o intervalo para o almoço, foi a vez de Juan Danilo Rodríguez Mantilla recomeçar as atividades abordando as questões dos Conflitos Obsessivos, apresentando alguns relatos de experiências suas como médico de família, que ajudaram a esclarecer o tema, bem como penetrou nas mudanças de comportamento sob o efeito das interferências espirituais obsessivas. Utilizando-se do conteúdo constante em O Livro dos Médiuns, explicitou os métodos de identificação das obsessões, relatou e aprofundou as emoções básicas do ser humano, as defesas psicológicas de forma que a temática ficasse acessível a todos.
Na sequência do Seminário, Ênio Medeiros apresentou a temática do Perdão à Luz da Psicologia Profunda, enaltecendo enfoques das obras psicológicas da Veneranda Benfeitora Joanna de Ângelis, convidando para um mergulho em si mesmo, salientando que cabe à cada um o empenho pelo entendimento das questões psicológicas, bem como ao autoconhecimento, que somente se dará com muito empenho e dedicação. Cabe a cada um empenhar-se na sua transformação moral para melhor.
No final do dia, rico de atividades intensas, o incansável Arauto do Evangelho conduziu os presentes em um momento de visualização terapêutica, encerrando as atividades, que terão prosseguimento neste domingo. Em clima de harmonia e paz, todos, como que imantados ao psiquismo das atividades, ali ainda permaneceram por algum tempo, como que buscando manter o estado de profundo bem-estar.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Divaldo Franco na Europa Londres, Reino Unido

16 de maio de 2019
Nesta quinta-feira, despedindo-se de Londres, onde Divaldo Franco já vem há quarenta e um anos para divulgar o espiritismo e o evangelho de Jesus, a proposta foi encontrar-se com os trabalhadores espíritas das várias instituições espíritas da capital do Reino Unido.
O incansável Semeador de Estrelas, Divaldo Franco, iniciou narrando a história da pequena menina e as duas janelas, a da alegria e a da tristeza, quando seu avô vendo-a debruçada na janela chorando, penalizada ao ver os irmãos lamentando a morte do cachorro, chama-a e a conduz até a janela da outra extremidade da casa, levando-a a apreciar uma bela roseira que juntos eles haviam plantado e que agora produzia belas rosas, passando-lhe uma lição inesquecível, afirmando que na vida de todos nós sempre haverá mais de uma janela, e que não devemos estacionar na janela da tristeza, esquecendo que a vida sempre nos oferece muitas outras janelas que nos permitem avançar com otimismo e alegria.
Com sua vastíssima experiência de uma vida dedicada à causa espírita, o semeador da Boa Nova falou das questões cotidianas das sociedades espíritas, dirimindo muitas dúvidas e respondendo muitas perguntas que foram formuladas.
Foi sem dúvida um momento de grande oportunidade, pois, Divaldo conclamou todos ao trabalho, afirmando que a verdadeira felicidade não é viver sorrindo, mas é viver cada momento com paz interior.
O amor é a alma da vida, interrogando, com essa premissa, por que brigamos tanto? Como é possível conviver com discussões e brigas, se pregamos a fraternidade universal?
O público, composto por trabalhadores espíritas, absorvia cada palavra proferida pelo seguro e experiente orientador Divaldo Franco, que em verdade se constituíam em roteiro seguro para se avançar em equilíbrio na conquista da harmonia, afinal não se tem todos os dias a oportunidade de ouvir alguém com visão profunda e conhecimentos amplos, larga experiência nas intrincadas questões do ego. Foi uma oportunidade ímpar.
Ao encerrar as atividades, Divaldo foi aplaudido com muito entusiasmo, todos retornaram com muito material para reflexão, e o semeador prossegue, amanhã, 17 de maio, dirigindo-se à Viena, na Áustria.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno

Divaldo Franco na Europa Mannheim, Alemanha,

11 de maio de 2019
Prosseguindo na tarefa de divulgação do Espiritismo, Divaldo Pereira Franco, na companhia de Juan Danilo Rodríguez e amigos, ainda na Alemanha, na tarde deste sábado, 11 de maio, na bela cidade de Mannheim, realizou esclarecedora conferência sobre a paz para um atento auditório que ali esteve, ouvindo este trabalhador de Jesus.
O Dr. Juan Danilo iniciou as atividades apresentando a saudação de carinho e gratidão em nome da Mansão do Caminho, deixando sua mensagem de estímulo ao progresso espiritual.
Divaldo Franco, assumindo a palavra, afirmou que a paz no mundo principia na paz interior em cada ser humano. Narrou, com muita propriedade, algumas experiências suas com as crianças que convivem com a violência no lar, na escola e na sociedade, apontando o amor como antídoto para os conflitos que dificultam a conquista da paz. Não se referiu somente à violência, mas também a indiferença, em razão, principalmente, do vazio existencial. Os homens perderam o sentido da vida, o endereço de si mesmos, esquecendo-se que são criaturas humanas, desenvolvendo o hábito de se deixarem irritar por quaisquer ocorrências, permitindo que o ego dite a sua conduta.
Com a jovialidade de quem descobriu que o sentido da vida é amar e servir, o seareiro do bem, Divaldo Franco, alertou que estamos esquecendo a generosidade, e questionou: afinal, o que nos custa um sorriso?
Terno e paternal, o experiente educador conclamou todos para que, ao voltarem aos seus lares, lembrem-se que a vida tem um sentido, que é possível tornar as famílias felizes com vivências muito simples, que procurem aplicar o que hoje aqui ouviram, em homenagem à paz no mundo.
Muito aplaudido, o encontro foi encerrado em clima de paz e harmonia. Sem tréguas, ou lapso de tempo, o incansável lidador da Boa Nova já se prepara para seguir à Luxemburgo, levando os ensinamentos do Cristo aos que já o aguardam.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno

quinta-feira, 16 de maio de 2019

Divaldo Franco na Europa Londres, Reino Unido

15 de maio de 2019
Na noite desta quarta-feira, 15 de maio de 2019, retornando à bela cidade de Londres, atendendo ao convite dos amigos espíritas da British Union of Spiritist Societies (BUSS), Divaldo Franco participou do Movimento Você e a Paz, por ele mesmo criado há vinte e um anos, e que visa conscientizar as pessoas sobre a importância da conquista da paz, que principia no indivíduo e se transporta para a sociedade.
Convidada para o encontro, Cristiane Beira, do Brasil, destacou a importância da educação voltada para a paz, tomando como exemplo o projeto da Mansão do Caminho, que visa desenvolver a paz a partir da criança e do adolescente. Cristiane abordou, com propriedade, vários aspectos da educação e da importância do autoconhecimento ser trabalhado desde a infância.
Outro convidado foi o Dr. Peter Fenwick, neuropsiquiatra de Londres, dedicado cientista e pesquisador de experiências de quase morte – EQM. Salientou e discorreu sobre a importância da paz, especialmente quando se consegue compreender a vida além da vida e a reencarnação.
Em seguimento, dirigindo-se ao público, presente e virtual, Divaldo Franco narrou algumas experiências suas sobre a não violência, do não revide. Frisou que quando atacado e agredido, sempre buscou agir, com discernimento e consciência, empenhando-se para que o amor ensinado por Jesus fosse a bússola de sua existência. Fazendo referência às emoções humanas, deteve-se no amor, a mais vigorosa força do universo.
Sempre jovial e alegre, o mensageiro de Jesus, promoveu o riso espontâneo na plateia. Através de suas narrativas, de uma longa vida, acostumado aos conflitos humanos, soube conduzir suas explanações proporcionando que todos se desarmem para melhor absorver e assimilar os conceitos, que são um convite à transformação para melhor. Ninguém é tão completo, que não necessite do outro, levemos a paz, amemos mais, cada dia um passo à frente, sempre podemos doar algo, se quisermos, assim exortou o Embaixador da Paz no Mundo.
Finalizando o evento da noite, todos estavam eufóricos, contagiados pela alegria de viver, pela valorização da vida. A vida é como um poema, afirmou Divaldo Franco, precisamos discernir para amarmos cada vez mais. Todos, ao encerrar, envoltos em harmonias de paz, dali saíram alegres e renovados.  E o semeador? Ele prossegue... nesta quinta-feira, 16 de maio, realizará um encontro com os trabalhadores espíritas de Londres, dirigindo-se em seguida para Viena, na Áustria.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno


Divaldo Franco na Europa Bruxelas, Bélgica

13 de maio de 2019
Neste 13 de maio, segunda-feira, logo cedo, Divaldo Franco e os amigos chegaram à Bruxelas, capital da Bélgica, atendendo ao convite dos amigos espíritas do Núcleo de Estudos Espíritas Camille Flammarion de Bruxelas - NEECAFLA - ASBL, para falar sobre o Autoconhecimento e o Despertar da Consciência.
Iniciando as atividades da noite, após as apresentações, Divaldo Franco discorreu sobre os estudos realizados pelo psiquiatra e psicólogo Mira y Lopes (1896-1964), descrevendo as cinco expressões fundamentais do ser humano: a personalidade, o conhecimento, a identificação, a consciência, abordando os seus níveis - a consciência de sono, a consciência desperta, consciência de si mesmo, a consciência emocional superior e a consciência cósmica -, prosseguindo com a quinta expressão, a Individualidade.
Demonstrando, com habilidade ímpar, através da narrativa de vivências cotidianas, como a vida pode ser simples e como se pode facilmente ser feliz. Divaldo Franco é este divulgador da Boa Nova que, muito além das suas palavras, tem dedicado toda sua vida a Jesus, ao Espiritismo e ao bem, amando incondicionalmente o próximo. Como ele mesmo diz:  É muito fácil receitar remédio amargo para os outros tomarem.
Estamos cansados de tantas palavras, carentes, no entanto, de bons exemplos.  O clima era de muita alegria, afinal, onde Divaldo Franco se encontra, a tristeza e o desânimo, correm para longe, envergonhados.
Ao encerrar, todos saíram lentamente, alegres, motivadas a realizarem mudanças, sorrindo mais, servindo mais, amando sem condições.
Tão logo a atividade foi encerrada, o Trabalhador do Cristo se recolheu, pois, bem cedo da manhã do dia imediato, a estação de trens o aguarda para rumar à Londres e semear a boa semente.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos:Jaqueline Medeiros
Adaptação e revisão: Paulo Salerno

Divaldo Franco na Europa Luxemburgo

12 de maio de 2019

Neste domingo dedicado às mães, 12 de maio, Divaldo Pereira Franco, deixando o solo germânico, dirigiu-se à Luxemburgo, onde era aguardado pelos amigos do Grupo Allan Kardec, que o receberam com efusiva alegria.
No início da noite, a expectativa nas mais de trezentas pessoas que lotaram o auditório do Goeres Hotels era enorme, pois o grave tema do Suicídio e das Obsessões é de grande interesse de todos.
Divaldo, porém, fez uma abordagem do tema, que por certo surpreendeu à muitos, pois com sua vasta experiência e conhecimento, tratou de explanar aspectos que valorizam a vida, que convidam o ser à adotar uma postura otimista ante os desafios existenciais.
Abordou a filosofia desde os grandes filósofos gregos Platão, Aristóteles e Sócrates, bem como mergulhou no conceito de felicidade, que varia ao infinito.
Frisou, com muita propriedade, a questão do Ter e do Ser, ressaltando o significado da ética na vida das criaturas humanas.
Temos hoje, afirmou Divaldo, a tecnologia de ponta, e no entanto sofremos o vazio existencial, e não raro, por este vazio, acabamos por permitir que a ansiedade tome conta de nós.
A ética é a arte de bem viver, e Jesus, o maior de todos os filósofos, nos indicou o amor, pois quem ama é feliz.
Divaldo Franco, amorosamente fraternal e acolhedor apresentou propostas terapêuticas, como sorrir mais, aprender a sorrir de si próprio, a não valorizar o mal.
Dando sempre um toque de humor, o Semeador de Estrelas trouxe vivências próprias que à todos sensibilizaram, narrando, com riqueza de detalhes, a longa e dolorosa trajetória daqueles que escolheram o martirizador e equivocado caminho do suicídio, que muito impressionou.
Ao encerrar a vibrante conferência, Divaldo Franco conclamou à todos para sermos aqueles que temos a honra de ajudar alguém, um sorriso, uma palavra, exalando a alegria de viver.
Ao final, após sentida oração, a harmonia tomava conta do ambiente, e o seareiro do Cristo, jovial, já se preparava para dar seguimento neste abençoado roteiro iluminativo nesta segunda-feira, 13/5, pois é aguardado em Bruxelas, capital da Bélgica.
Haja fôlego para acompanhar este incansável semeador da Boa Nova.

Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Jaqueline Medeiros
Revisão e adaptação: Paulo Salerno


domingo, 12 de maio de 2019

Divaldo Franco na Europa Stuttgart, Alemanha

10 de maio de 2019
Após comemorar o seu 92º aniversário, trabalhando ativamente, recebendo amigos e convidados em Workshop realizado na Mansão do Caminho, o incansável trabalhador do Cristo, Divaldo Pereira Franco, consciente da necessidade de esclarecimento e de paz no mundo, embarcou para mais um roteiro de atividades doutrinárias pelo velho mundo. Os eventos na Europa se estenderão por trinta e dois dias, passando por onze países e dezesseis cidades, o que não parece nada desafiador, quando servir à Jesus é o que move o ser no seu íntimo e quando se é jovem, de alma jovial.
Foi assim, motivado e profundamente comprometido com a obra crística, que Divaldo Franco desembarcou em Frankfurt/Alemanha no dia 09 de maio, já aguardando o início das atividades que se iniciaram neste 10 de maio na cidade de Stuttgart, na Alemanha.
Dirigindo-se à um público de aproximadamente trezentas pessoas, o Semeador de Estrelas abordou a temática da Vitória sobre a Depressão, apresentando toda a trajetória desta grave pandemia, desde a antiguidade Grega, discorrendo sobre a melancolia, as técnicas utilizadas daquela época e sobre as lutas da medicina e da ciência, travadas até os dias atuais, onde segue, sendo motivo de estudos e pesquisas para amenizar os graves efeitos sobre a sociedade moderna.
A tecnologia está contribuindo para o afastamento uns dos outros. Vive-se tão perto fisicamente, porém isolados pelas relações virtuais. Este é o século da ansiedade, é um fenômeno do momento atual, especialmente em razão das redes sociais, asseverou o lúcido orador.
Coube ao Espiritismo contribuir para a eliminação dos transtornos psíquicos e emocionais. Allan Kardec afirmava que cada indivíduo é o resultado do que pensa, porquanto, quando pensa, emite ondas que sintonizam com outras ondas similares. Cada indivíduo é uma antena transceptora, emitindo e captando ondas mentais.
O ínclito conferencista prosseguiu. Adentrou-se no campo das obsessões, apresentou exemplos próprios, discorreu sobre esta grave temática, proporcionando uma ampla compreensão. Sua abordagem, de forma simples e com grande riqueza de detalhes, propiciou à atenta plateia um perfeito entendimento sobre a interação do mundo físico com o mundo espiritual.
A jovialidade, a alegria e o entusiasmo com que Divaldo Franco se comporta, no auge de sua “juventude permanente”, é impressionante. O Paulo de Tarso da Atualidade atende e esclarece com grande empenho e dedicação todos os que o buscam. É sem dúvida, um exemplo a ser seguido pelos que desejam servir à Jesus, amando o próximo como Ele ensinou.
Finalizada a produtiva atividade, todos saíram renovados, idealizando o dia vindouro, quando o trabalho doutrinário terá continuidade, agora na bela cidade de Mannheim, que expectante, já aguarda o nobre seareiro.
Texto: Ênio Medeiros
Revisão e adaptação: Paulo Salerno

segunda-feira, 6 de maio de 2019

Divaldo Franco na Bahia Salvador

05 de maio de 2019
Workshop O Significado da Vida
Centro Espírita Caminho da Redenção
Divaldo Franco, 92 anos dedicados ao Espiritismo, à Paz e à Caridade.
Estando o Ginásio de Esportes lotado, a atividade contou com um momento musical inigualável. O Setor de Eventos da Mansão do Caminho, dirigido pela dedicada e operosa Telma Sarraf, em seu trabalho de bastidores, demonstrou eficiência, organização e muita dedicação em bem receber os participantes, se desdobrando para que os detalhes de planejamento e execução pudessem alcançar alto nível operacional.
Divaldo Franco, completando 92 anos nesta data, na sua habitual sensibilidade, agradeceu as manifestações de bondade e ternura, esclarecendo que não se julga merecedor, reconhecendo, porém, a sua perseverança no ideal espírita e na divulgação da Doutrina Espírita. O terno e dedicado orador destacou que é necessário encontrar Jesus no caminho, apreender a sua sublime proposta do amor. A perseverança é o guia, o apoio, a certeza de alcançar a meta com a ajuda das criaturas amigas.
Ao apresentar os fatos experimentados por Viktor Frankl (1905-1997), médico psiquiatra austríaco, notadamente durante o período em que esteve cativo dos alemães em cruéis campos de concentração, durante a II Guerra Mundial, o incansável médium destacou que Viktor Frankl somente sobreviveu por ter estabelecido uma meta, um sentido para a sua vida. O médico austríaco é o fundador da escola da Logoterapia que explora o sentido existencial do indivíduo e a dimensão espiritual da existência.
Ao fazer essa abordagem, Divaldo Franco asseverou que deseja, efetivamente, aos que já estão desenvolvendo o significado para as suas vidas, logrem o sucesso. Aos que ainda não começaram a estabelecer uma meta para a vida, que o façam. A vida de Viktor Frankl foi a busca para encontrar o sentido da vida. Sua existência era a de um homem que não se preocupava, inicialmente, com a religião. Aprisionado pelos alemães, deixou de ser um homem, um indivíduo, para ser somente um número. Ele somente não foi assassinado porque teve uma meta, um objetivo para a vida, embora tenha passado por alguns dos mais cruéis campos de concentração, onde os assassinatos e os suicídios eram numerosos todos os dias. Assim, o fundador da Logoterapia atingiu um sentido psicológico da vida, ainda maior.
O Paulo de Tarso da atualidade, Divaldo Franco, enalteceu, através de diversos exemplos narrados, a ação do amor, da caridade, pois que, aqueles que se dedicaram e se dedicam ao próximo, são dotados de profundo sentido de vida, as suas metas são servirem aos seus irmãos em humanidade. Asseverou que a perseverança é imbatível, sendo o princípio da vida. Cabe a cada ser humano encontrar um objetivo para a sua vida.
Ao narrar um episódio constante na autobiografia do médico e escritor escocês Archibald Joseph Cronin (1896/1981), escrita após a II Guerra Mundial, Divaldo ressaltou a oportunidade. No início de sua carreira foi chamado para atender uma menina vítima de crupe. Durante o procedimento, que exigiu traqueostomia, ele contou com o trabalho de uma jovem enfermeira. Coube a ela, a vigília para que a menina, durante a noite, não retirasse o equipamento de borracha. A enfermeira, no entanto, mesmo zelosa, não resistiu ao sono e a menina faleceu. Ela sofreu com a falha, e o médico Cronin elaborou um relatório para enviar à Associação Médica. Ela pediu “outra oportunidade”, pois também estava iniciando na profissão, e fatalmente teria o registro cassado. Mas o médico firmou o documento, e ela o subscreveu, concordando com o que ali estava relatado. Cronin foi até a agência do Correio para enviar a missiva. Mas, ao invés de postar, relutou e desistiu.
No dia seguinte, novamente foi até o Correio mas suspendeu a remessa. Após a terceira tentativa, optou por inutilizar o relatório, queimando-o. Algumas décadas depois, num hall de hotel, enquanto aguardava por uma cerimônia na qual seria premiado, Cronin apanhou uma publicação do The Times e passou a ler a reportagem “O anjo da noite”. Ele acompanha a história da mulher que, numa região miserável do País de Gales, acolhe e cuida de crianças desamparadas. Ela conta que havia se comprometido com moradores do local, no qual não havia assistência médica. E, na sua história, o peso por não ter resistido ao cansaço, o que ocasionou a morte de uma enferma, fez com que se dedicasse a salvar vidas de crianças.
Na reportagem, a mulher contou que aguardou pela punição da Associação Médica, porém, nunca foi notificada. Então concluiu que teve uma segunda oportunidade. Com essa chance, passou a percorrer lugares pobres. E naquele momento “quatro mil vidas já haviam sido salvas das garras da morte”. Boa parte, adotada por famílias dos EUA, Suécia e Noruega. O “Anjo da Noite”, como foi intitulada a divulgação, referia-se à peculiaridade da mulher que, não conseguindo dormir à noite, mantinha-se atenta. Somente à tarde é que repousava durante duas horas. Perguntada sobre o nome do médico que proporcionou a nova chance, afirmou que “nunca guardamos o nome do bem, porém o mal nunca esquecemos. Se o dissesse, estaria denunciando por não agir conforme seu dever, que seria a entrega do relatório”.
É o amor produzindo a obra do bem. Quem não tem um sentido psicológico para a vida já morreu, afiançou o nobre conferencista. Todos devem sair da província da reclamação para o reino da gratidão. Recitando o Poema da Gratidão, de Amélia Rodrigues, Divaldo Franco encerrou o profícuo trabalho, envolvendo todos em profundas vibrações de ternura, paz, esperança e amor. O público homenageou-o, felicitando-o pelo seu aniversário.
À noite, para um grupo de amigos, Divaldo programou um Sarau Evangélico, onde através da música, especialmente composta e tocada por Juan Danilo Rodríguez, o anfitrião narrou vários poemas de Rabindranath Tagore, contidos na obra Pássaros Livres, psicografada por Divaldo Franco, todos com profundo foco no amor, inclusive as músicas selecionadas.
Enaltecendo o poder do amor, Divaldo narrou o seu encontro com o grande paranormal, Swami Satya Sai Baba, bem como, o relacionamento com um menino indiano, Tamil, que mais tarde encontrou em Londres, estudando, quando Tamil teve a oportunidade de dizer a Divaldo Franco o seguinte: como você não pode me carregar, eu vim seguindo as suas pegadas. Tamil se corresponde com Divaldo, e este ano, felicitando-o pelo aniversário, informou que estará presente na Mansão do Caminho por ocasião do 93º aniversário de seu “pai adotivo”. Concluindo o profícuo encontro, Divaldo destacou, uma vez mais, que uma vida que não possua significado não é vida. No gesto de reunir os amigos, Divaldo asseverou que a forma de agradecer foi através da música das páginas de Tagore sobre o amor, avançando rumo à humanidade, engajando-se nas preces, desejando oportunidades, traçando metas psicológicas, ampliando o sentido da vida.
Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke



(Informações recebidas em email de Jorge Moehlecke)

domingo, 5 de maio de 2019

Divaldo Franco na Bahia. Conferência Pública Salvador, BA

04 Maio de 2019
Centro Espírita Caminho da Redenção

 “Não deixe o mal hospedar-se em seu coração.” (Divaldo Pereira Franco)
Com belíssimo preâmbulo musical, e estando lotado o auditório, Divaldo Franco, repetindo gesto habitual, circulou entre o público, cumprimentando os presentes. Na véspera de completar 92 anos de idade, o orador espírita, Embaixador da Paz e servidor fiel do Cristo, apresenta-se jovial. Dotado de alegria de viver, contagia os circunstantes.
Após extenuante viagem doutrinária à Campo Grande/MS e o retorno, não menos cansativo, devido as atuais condições no transporte aéreo nacional, Divaldo narrou que experimentou uma emoção muito especial. Quando se encontrava no aeroporto de Brasília, aguardando a conexão, um Major do Exército Brasileiro se lhe acercou pedindo que orasse por ele e pela missão que estava por realizar. Solicitava as orações para que a missão de paz, a ser desenvolvida no Haiti, fosse coroada de sucesso, pacificando o convívio dos haitianos, que fosse capaz de levar a paz.
Mas emoção teve continuidade no aeroporto de Salvador, onde um Cabo da Polícia Militar da Bahia lhe solicitou permissão para abraçá-lo, haja vista que Divaldo é alguém que trabalha para a paz. O Cabo PM disse-lhe que é um soldado da paz, confidenciou-lhe que a polícia do amor há de chegar um dia, onde todos serão soldados da paz. Esse Cabo foi aluno em uma das Escolas da Mansão do Caminho. Quanto é bom amar o amor, amar pelo prazer de amar, banhado pelas bênçãos do Senhor, sentenciou o orador de escol.
Para dar ênfase, Divaldo Franco apresentou os períodos pelos quais o Espiritismo iria passar, segundo análise de Allan Kardec, bem como discorreu sobre cada um deles. O 1º Período foi o da Curiosidade; o 2º foi o Filosófico; o 3º o da Luta; o 4º o Religioso; o 5º o Intermediário; e o 6º Período, o da Regeneração Social.
Esse último período é o da transformação moral para melhor, da vida digna, combatendo as paixões exacerbadas. É o período em que o homem anela por preencher a vida com ideais nobres, emoções elevadas, dignidade, de não revidar o mal com o mal, de não se deixar dominar pelos pensamentos dos outros, de não se incomodar com o que os outros façam, de não permitir que ninguém perturbe a sua paz, de perdoar sem nenhum sentimento de devolver o mal que recebeu, de não deixar que o mal se hospede no coração. Esse é um período onde o homem deve viver sem a sombra das reminiscências negativas, é o da mediunidade a serviço do bem. Assim, concluiu o nobre orador, a humanidade já está entrando no período da Regeneração Social.
Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke
(Informação recebida em email de Jorge Moehlecke


Homenagem a Divaldo Pereira Franco



(Recebido em email de Donizete Pinheiro)

Parabéns Divaldo Pereira Franco pelos 92 anos de vida 1927 - 2019

VEJA HOMENAGEM QUANDO DIVALDO COMPLETOU 85 ANOS EM 2012.

quinta-feira, 28 de março de 2019

Divaldo Franco nos Estados Unidos da América Miami

 26 de março de 2019

Movimento Você e a Paz
No entardecer do dia 26 de março de 2019, terça-feira, na bela Miami Beach, ocorreu a primeira edição do Movimento Você e a Paz, em local aberto, com acesso ao público e entrada franca. Foi realmente uma noite inesquecível. Eram centenas de pessoas reunidas com a proposta de se voltarem para a paz. O belo evento teve a participação de Marcelo Neto, Presidente da Federação Espírita da Flórida, Juan Danilo Rodríguez, espírita, que acompanha Divaldo em suas viagens, a menina Isabela Cortez, que apesar de muito jovem, está plenamente voltada para a paz, e Divaldo Pereira Franco, idealizador do movimento. O recente amigo, o DJ Alok, que estando em Miami a trabalho, não deixou de prestigiar o evento.
Todos os oradores sensibilizaram os presentes, falando com muita emoção, trazendo exemplos de ações que promoveram a paz. Juan Danilo afirmou que todos desejam encontrar a paz, ficarem livres de problemas emocionais de toda ordem, porém, nem sempre a vida apresenta situações agradáveis. O respeito ao próximo, a busca por pontos em comum, proporciona entender e compreender uns aos outros, construindo a paz através da gentileza, da busca por servir, por ser útil, por viver em paz.
Encerrando o belo encontro, Divaldo Franco, se pronunciando, transferiu as homenagens que lhe foram feitas aos heróis anônimos que promoveram e promovem a paz, pagando muitas vezes com a própria vida, a conquista da paz, como Mohandas Karamchand Gandhi (1869 – 1948), mais conhecido como Mahatma Gandhi, líder da independência da Índia, Madre Teresa de Calcutá, (1910 – 1997) Missionária católica albanesa, fundou a Congregação Missionárias da Caridade, dedicando toda sua vida aos pobres, Prêmio Nobel da Paz em 1979, entre outros vultos da humanidade.
Tenha paz em seu lar, que se expandirá para o bairro, para a cidade e para o mundo, salientou o arauto do Evangelho. A paz começa em cada um, individualmente, pelo autoamor, como asseverou Jesus. Começar a amar em casa, não reagindo, mas agindo sempre. A humanidade está cansada de palavras e carente de exemplos. Afinal, como almejar a paz no mundo se o ser humano se encontra em guerra consigo mesmo, questionou o lúcido orador. De uma forma jovial e descontraída, narrou suas próprias experiências na construção da paz. Convivendo amiúde com a violência dos violentos, a todos envolveu com alegria e amor, sempre conseguiu com que a paz prosperasse, afinal a vivência da paz sempre esteve na vida de Divaldo Franco, Embaixador da Paz no Mundo.
Ao concluir, todos se encontravam embevecidos com as narrativas deste trabalhador do Cristo, retornando aos seus lares, renovados com as bênçãos do encontro da paz.
Texto: Ênio Medeiros
Fotos: Facebook
Revisão e adaptação: Paulo Salerno

segunda-feira, 25 de março de 2019

Divaldo Franco nos Estados Unidos da América Miami

23 de março de 2019
9ª Conferência Espírita da Flórida
Na manhã do dia 23 de março de 2019, sábado, dando prosseguimento às atividades da 9ª Conferência Espírita da Flórida, Divaldo Pereira Franco, abordando o tema “World of Trials And Expiations is it over?” (O mundo de provas e expiações acabou?) iniciou citando Fiódor Mikhailovitch Dostoiévski – (1821-1881) escritor, filósofo e jornalista russo, e sua obra “O Idiota”, onde ele destaca que a beleza salvará o mundo, mesmo no aparente caos dos dias atuais.
A Humanidade atravessa um período de graves mudanças rumando à perfeição, asseverou o Semeador de Estrelas. Lembrou, o nobre palestrante, que o insigne Allan Kardec, já salientava que enfrentaríamos grandes mudanças, a fim de que o Planeta se transforme em um mundo de regeneração. Segundo Divaldo, esta mudança já se iniciou desde quando Jesus pisou no solo de nosso planeta, principiando a era do amor, e com a chegada do Espírito de Verdade, assinalou-se a era da imortalidade.
Divaldo indagou ao auditório atento: O que é a vida? O que é a morte? Qual o sentido existencial?, provocando profundas interrogações naqueles que o escutavam. Em verdade, convidando ao despertar da consciência.
O Arauto do Evangelho e da Paz, rememorando os acontecimentos ocorridos nas últimas décadas, ressaltou o surgimento da AIDS e a busca alucinada pelo prazer e pelo gozo a qualquer preço. O ser humano poderá desfrutar de saúde se agir com dignidade em seus relacionamentos afetivos. A Doutrina Espírita elucida qual o sentido da vida, seja no corpo ou fora dele, prosseguindo, a criatura humana, em busca da aquisição do estado numinoso de consciência, como definira Carl Gustav Jung (1875-1961), psiquiatra suíço e fundador da psicologia analítica.
Encerrando a conferência, Divaldo esclareceu, ainda, que o Espiritismo é a doutrina que dá vida ao ser humano, ensinando-o a amar nesta era de amor que já chegou no Planeta, apesar da balburdia do mal e daqueles que lhe dão guarida.
Vale a pena amar!!!
Texto: Ênio Medeiros
Revisão e adaptação: Paulo Salerno
(Recebido em email de Jorge Moehlecke)

domingo, 24 de março de 2019

Divaldo Franco nos Estados Unidos da América Miami

22 de março de 2019
Na noite de sexta-feira, 22 de março de 2019, retornando à Miami, Divaldo Pereira Franco, atendendo ao convite da Federação Espírita da Flórida, participou, juntamente com Haroldo Dutra Dias e Artur Valadares de Freitas Santos, também palestrantes espíritas, do Encontro com Trabalhadores Espíritas da Flórida e de outras regiões dos Estados Unidos da América, sob o tema “O Desafio do Trabalhador Espírita na Nova Era.
Marcelo Neto, atual Presidente da Federação Espírita da Flórida, iniciou a atividade conduzindo o auditório em uma prece, preparando os participantes para a atividade programada. Haroldo Dutra Dias, fazendo referência ao trabalho de Divaldo Franco, atestou a gratidão que todos devem ter a este abnegado trabalhador do Cristo, que ao longo de várias décadas vem abrindo clareiras na selva dos desafios humanos. Nossa tarefa, afirmou Haroldo, não é uma tarefa de corpos, pois mesmo com a morte física, nossas almas prosseguem além dos limites do corpo, com a sede de servir no trabalho do bem.
A seguir, o jovem Artur Valadares citou a figura inolvidável de Jesus, que advertiu aos seus discípulos acerca das dificuldades do caminho, as armadilhas, os perigos. Assim, em sua fala atemporal, Jesus vem preparando nossos corações para os enfrentamentos com as trevas interiores, que apesar de nossa pequenez, vamos pagando o preço da luz da vida, através dos sacrifícios de cada um.
Finalizando a atividade noturna, Divaldo Franco fez referência ao nobre Espirito Vianna de Carvalho, que em determinada citação, comparou o Espiritismo a uma empresa de Jesus, de valores significativos, onde os apóstolos são os diretores, e estes, nomeando seus corretores, que são as entidades nobres do mundo espiritual, lidam com os valores nobres da empresa, o amor e a paz. Os clientes desta divina empresa são todos nós, que não poderemos permitir que estes valores não prosperem, evitando a nossa falência. Citando a nobre mentora Joanna de Ângelis, que assevera que a apresentação da Doutrina Espírita para o mundo deve ter três cuidados especiais, ou três pilares:
Espiritizar os indivíduos que a apresentam;
Qualificar para o trabalho; e
Humanizar para que a luz, primeiro ilumine os próprios trabalhadores.
Por fim, Divaldo conclamou a todos, com sua vasta experiência, ao trabalho, de forma simples, sem melindres, vigiando cada vez mais as más inclinações, esforçando-se em bem servir a Jesus, trabalhando o solo ainda árido dos próprios corações.
Todos dali saíram com grandes verdades para refletir.
Texto: Enio Medeiros
Revisão e adaptação: Paulo Salerno

segunda-feira, 18 de março de 2019

Divaldo Franco no Paraná XXI Conferência Estadual Espírita - Encerramento

17 de março de 2019
A XXI Conferência Estadual Espírita foi encerrada em 17 de março de 2019 com a presença de cerca de dez mil participantes. Estiveram presentes 112 caravanas de quase todos os Estados, uma do Paraguai e outra do Uruguai. Foram 462 cidades conectadas, totalizando 230.000 conexões em 35 países dos cinco continentes. Após belíssima apresentação musical como os músicos Cristiana e Marcelo e a participação especial de Juan Danilo Rodríguez, Adriano Lino Greca, Presidente da Federação Espírita do Paraná, agradeceu o profícuo trabalho realizado pelos funcionários, voluntários e empresas parceiras, viabilizando o grandioso trabalho doutrinário.
Divaldo Franco, abordando o tema Jesus e Vida, destacou que na velha Palestina, na baixa Galileia, junto ao lago Genesaré, Jesus contemplava o outro lado, formado por uma cadeia de montanhas, em cujo topo se encontrava a cidade de Gadara. Ali, naquela região se localizava a decápolis, detestada pelos judeus, haja vista que seus habitantes criavam porcos. Foi nesse cenário, no mês de Nissan (março/abril) com temperatura amena e o ar perfumado pelas rosas, que o Mestre Galileu, tomando o barco de Pedro, atravessou o lago, desembarcando em singela praia, no contraforte da montanha. Aqueles eram tempos difíceis.
O Mestre intentava visitar a comunidade malsinada e odiada pelos judeus. Subindo a escarpa, no primeiro platô havia um pequeno cemitério abandonado. De uma sepultura saltou alguém desgrenhado, gritando, - o que tens contra nós? E Jesus indaga: - e tu, quem és? Ao que recebe como resposta: - Legião, nós somos muitos, não nos mande para o Hades, deixe-nos, ao menos, ficar junto aos porcos. Não nos mande para as Geenas!
Jesus, então, ordena: - Legião! Sai dele! E o possesso, aturdido levanta-se, perguntando: - Senhor! Que queres que eu faça? Deixando livre o subjugado, aqueles Espíritos perversos se imantaram aos porcos, que aturdidos, se atiraram do alto daquele precipício. Aquele homem, possesso, estava há vinte anos sob o domínio ultrajante, vivendo no cemitério. Foi curado, e sorrindo, dizia a todos que havia sido Ele, Jesus, que o havia curado.
Ao mesmo tempo os gadarenos, que cuidavam os porcos, O amaldiçoaram por terem perdido seus animais, dizendo que não O queriam em Gadara, pois que o Mestre era judeu, recomendando que não voltasse mais, suplicando que os deixassem em paz. Alguém mais exaltado lançou uma pedra que raspou uma face do rosto de Pedro. Ide de volta, vociferaram, que Te vá, deixa-nos em paz, já perdemos os nossos porcos. Os gadarenos perguntavam-se entre si, quem era Aquele homem. Não sabiam responder, não haviam indagado sobre o visitante, nem mesmo procuraram saber o que viera ali fazer.
Ele, acompanhado pelo recém-liberto e os demais, embarcam de volta. Os gadarenos haviam trocado Jesus pelos porcos. É um exemplo de obsessão coletiva e a legião, também, se apossou dos demais criadores de porcos, desperdiçando a oportunidade de ascensão vertical, preferindo a horizontal, a que contempla os bens materiais.
Na atualidade, destaca o tribuno Divaldo Franco, o homem experimenta a mesma situação, ou seja, a opção pela evolução horizontal, apegando-se aos bens e serviços oferecidos pela ciência e a tecnologia, desprezando o crescimento em sentido vertical, o que conduz a Deus. Assim se dá com os que conhecendo o Mestre, O admiram, porém, não dão o testemunho da ação e do trabalho praticando o bem, doando-se ao próximo, como fizeram Francisco de Assis, Tereza D’Ávila, Madre Teresa de Calcutá e muitos outros.
Divaldo Franco oportunizou reflexões profundas, levando o público a realizar uma autoanálise sobre o comportamento com o próximo, ao viajar na vida e nas ações daqueles que tendo conhecido Jesus, mudaram radicalmente suas vidas, doando-se aos necessitados, em nome Dele. O exemplo do Mestre é marcante, capaz de transformar vidas.
Nestes dias tumultuados, o ser humano não pode trocar Jesus pelos porcos, uma representatividade da iniquidade dos indivíduos. Ele é o que consola, que alivia a fadiga, que diminui as dores e os sofrimentos. Os maus desejam submeter os incautos. O trânsito no bem exige renúncia aos apelos do mundo, adotando atitudes de autodoação.
Divaldo Franco, parafraseando Chico Xavier, disse que contempla a cada um e os toma por irmãos do arco-íris, agradecendo em nome daqueles cujas vidas tinham por cobertura os seres do arco-íris. Quero te agradecer porque são luminosos os dias que estamos vivendo.
Neste momento, Bezerra de Menezes, Espírito, assim se manifestou pela psicofonia de Divaldo Franco:
É muito difícil a travessia do abismo sem a ponte do amor. A grande noite de estrelas luminíferas vai cedendo lugar à estrela máxima do dia. É a noite que precede o amanhecer da Nova Era. Jesus, filhas e filhos do coração, espera que cumpramos o nosso dever, e este dever é o de nos darmos uns aos outros, com fidelidade, com ternura. Não vos preocupeis com os espinhos da estrada, nem com as dores. Se não tivesse havido a morte não existiria a ressurreição. Então, é necessário que morram as paixões inferiores para que resplandeça a luz da verdade em nossos corações. Este é o momento de festival do ego, e as forças tenebrosas de ontem, de hoje e um pouco de amanhã enfrentam Aquele que é o caminho da verdade, que é a vida pelos caminhos da luta. Exultai porque conheceis Jesus, e exultai mais ainda porque Ele está anotando os vossos nomes no Livro do Reino dos Céus. Não vos deixeis aturdir pelo tumulto, mantei-te na paz a qualquer preço. Não vos preocupeis com aqueles que se vos fazem inimigos. Que vós cuideis de não ter inimigos, não ser, porque muitos outros passarão pelo caminho para vos esbordoar em nome Daquele que recebeu a bofetada tendo as mãos atadas as costas, porque o Evangelho é o renascer da vida que nos chega na segunda volta de Nosso Senhor Jesus Cristo. Ide e vivei o Evangelho, avançai no rumo certo da verdade e amai a qualquer preço. Não há outra alternativa senão o amor para este momento de total integração no espírito da vida. Que nos abençoe o Mestre de todos nós e recebei o abraço afetuoso dos Espíritos espíritas que aqui estamos convosco nestes dias de conquista da plenitude espiritual. Muita paz, meus amigos, e o carinho do servidor humílimo e paternal de sempre. Bezerra.
Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke

domingo, 17 de março de 2019

Divaldo Franco no Paraná XXI Conferência Estadual Espírita

16 de março de 2019
Em continuidade às atividades inerentes ao magno evento da Federação Espírita do Paraná, Divaldo Franco, Embaixador da Paz no Mundo, servidor dedicado e fiel de Jesus, concedeu à Rede Massa de Televisão – SBT – uma entrevista comentando assuntos variados e de profundo significado.
Semeando a Boa Nova nos corações juvenis, Divaldo Franco respondeu a diversas perguntas adrede preparadas pelos jovens nos encontros em seus Centros Espíritas. O evento foi designado por: Momento - Jovens com Divaldo. Os temas giraram em torno do suicídio, notadamente entre os jovens, o livre-arbítrio, a ética, as obsessões, os impulsos avassaladores experimentados na juventude, os pensamentos e sua importância, a dinâmica para substituir pensamentos negativos pelos positivos.
Divaldo alertou que as situações mudam sistematicamente, recordando orientação de Emmanuel para Chico Xavier, quando instou o médium mineiro a escrever a seguinte sentença levando em consideração os aspectos positivos ou negativos da vida: “Isto também passa”. Asseverou ser necessário lutar contra as inclinações más, e que o amor ao outro deve se fundamentar nos valores de ordem superior e não nas aparências, sempre frágeis. Frisou que o amor é para sempre e que as ilusões sexuais são passageiras.
Sobre as influências dos Espíritos maus, o médium baiano destacou que eles costumam constranger, submetendo as suas vítimas, exigindo-lhes obediência. É necessário, frisou, não se deixar contaminar pela violência nem pelas tragédias, pois que são de todos os tempos e acompanham o homem que ainda não se moralizou o suficiente. Quando o amor se estabelece na base da sexualidade é sempre abrasador e fugidio.
Exortou os jovens a se tornarem cidadãos dignos, responsáveis, bons, testemunhando com tranquilidade os atos violentos e a própria violência. A criatura humana é a mesma, independente de lugar. É importante honrar a Pátria, desenvolvendo valores educacionais, aprendendo a tornar o País pacífico, próspero, cumprindo seus deveres para com a Pátria e à sociedade, desenvolvendo valores éticos, forjando caráter ilibado.
As relações familiares devem ser cultivadas em bom nível, diminuindo ou extinguindo os conflitos entre pais e filhos, lembrando que há, hoje, muitos pais que são ausentes nas vidas de seus filhos, quando deveriam se dar aos filhos, pois que o amor requer contato físico e que o respeito deve ser por amor e nunca por temor.
O papel dos pais, salientou o nobre médium, é o de educador, de desenvolver e estimular os bons hábitos, acolhendo seus filhos, antes que se percam nos desvãos da sociedade humana. Como educador por mais de setenta anos, Divaldo que já educou mais de cento e trinta mil, disse que pais e filhos têm sede de amor e que necessitam de carinho mútuo.
Finalizando o proveitoso encontro, Divaldo discorreu sobre as artes e a música, orientando para o discernimento entre o que é bom e belo e o que é perniciosos ao homem, o que é ético e estético. Estimulando os jovens presentes, disse-lhes que o futuro já chegou, pois que o futuro são os jovens da atualidade, ávidos por informação de qualidade e de alto nível.
Antes do Seminário Luz nas Trevas desenvolvido por Divaldo Franco, Wagner de Assis, cineasta, apresentou dados sobre o filme que retratará a vida de Allan Kardec, seu legado, a importância na história da humanidade, e que deverá ser lançado em 16 de maio de 2019, bem como, destacou a ação dos benfeitores viabilizando o filme.
Divaldo Franco, traçou os acontecimentos preparatórios para o evento que massacraria os huguenotes, - protestantes - e que foram perpetrados pelos soberanos católicos da França. O evento que ficou conhecido com a Noite de São Bartolomeu ocorreu em 24 de agosto de 1572, cujas repercussões se estenderam no tempo. Em sua narrativa, Divaldo detalhou os preparativos, as vilanias, as tramas e manobras, sempre atendendo e visando o poder temporal de reis e rainhas, de religiosos e leigos. O massacre dos protestantes tingiu de sangue o Rio Sena.
Foi uma das páginas mais negras da intolerância e das paixões humanas que se desdobrou no tempo. Em 14 de julho de 1789, novamente em Paris, outra revolução aconteceu. Foi a tomada da Bastilha, um castelo medieval transformado em um paiol de pólvora, o maior da Europa. Os guardas, desatentos, foram dominados e a revolução se alastrou, apresentando resistência por parte da nobreza, sem contudo oferecer qualquer impedimento maior.
Os inimigos, aprisionados, julgados e condenados são submetidos ao guilhotinamento, decepando um sem número de cabeças. O terror tomou conta da França. A revolução preconizava a Liberdade, a Igualdade e a Fraternidade. Buscando a pacificação francesa, Napoleão Bonaparte se torna imperador em 02 de dezembro de 1804, ao mesmo tempo em que desmoraliza o Papa da época.
A História é caprichosa, e em 04 de outubro de 1804, portanto dois meses antes, nascia em Lyonum menino de nome Hippolyte Léon Denizard Rivail se tornando influente educador. Mais tarde, sob o pseudônimo de Allan Kardec, notabilizou-se como o codificador do Espiritismo. Hippolyte foi dedicado discípulo de Johann Heinrich Pestalozzi, emérito educador.
As luzes de Jesus alcançaram novamente a Terra, e a Doutrina Espírita se tornou realidade através do trabalho hercúleo de Allan Kardec sob inspiração dos Espíritos de escol, no histórico 18 de abril de 1857. O mundo estava em grandes transformações. Os ideais franceses ecoaram em Minas Gerais, e Tiradentes, o Mártir da Independência, pela sua postura ousada e desafiando as autoridades meramente temporais, é enforcado e esquartejado. Uma nova revolução se iniciou. Era a revolução filosófica espírita, lançando luzes sobre as sombras da ignorância e do radicalismo.
Os Benfeitores deram a sua assistência e acompanhamento à novel doutrina. Era o Espírito da Verdade, o Paracleto, a acolher o povo súplice e carente de afeto e amor. As manchas sociais vão sendo dissolvidas pelos doces e amorosos ares da caridade.
Diversas catástrofes continuaram a ocorrer, e a miséria humana estorcega, resistindo a ação saneadora que chega aos homens através da Doutrina Espírita. Há resistências, contudo, o amor do Cristo vive no coração de muitos, testemunhando fé e confiança. As paixões estertoram, porém, com o pensamento em Cristo, Aquele que é o Caminho da Verdade e da Vida, possibilitará ao homem encontrar Deus em seu interior, pois que a presença divina na sua criatura é um fascículo de luz divina em cada um. É a Era Nova. O Consolador se apresenta em Paris, ainda com cicatrizes, porém, mais pacificada. Nem tudo está pacificado, há resistências. Jesus convoca o Espírito Ismael preparando o Brasil para receber o Consolador Prometido. Assim, os franceses protagonistas da Noite de São Bartolomeu e da Queda da Bastilha, cerca de dois milhões, deveriam reencarnar em terras brasileiras, onde encontrariam receptividade ao Espiritismo. Tudo preparado, a miscigenação de europeus, africanos negros e índios nativos e as bênçãos de Espíritos de escol, o Espiritismo floresceu na Pátria do Cruzeiro em meio as almas generosas.
Mais um passo haveria de ser dado, isto é, levar o Espiritismo de volta para a Europa e outras partes da Terra, confirmando o Brasil como Pátria do Evangelho, coração do Mundo.
Assim, a partir do dia 15 de agosto de 1967, pelas ações corajosas de Divaldo Franco, o desbravador, secundado por outros brasileiros radicados no estrangeiro, o Espiritismo passou a ser difundido através de ações doutrinárias, divulgando a Doutrina Espírita, consolando e enxugando lágrimas, fundando instituições espíritas em várias cidades ao redor do Planeta, apresentando Jesus de Nazaré, Aquele das Bem-Aventuranças. Países de regimes totalitários foram sendo conquistados amorosamente, pacientemente.
A história do Espiritismo na Europa, nas Américas e outras regiões da Terra, deverá ser contada com a inclusão de um nome singular: Divaldo Pereira Franco, o Arauto de o Evangelho de Jesus Cristo, alma brasileira que acendeu a chama do Espiritismo nos cinco continentes e que é mantida acesa pela ação de muitos brasileiros residentes no Exterior.
“A história é a pedra de toque que desgasta o erro e faz brilhar a verdade”. (Marco Túlio Cícero – Filósofo Latino).
“Uma filosofia superficial leva a mente humana ao materialismo, mas uma filosofia profunda conduz a mente humana a verdadeira religião (Lord Bacon).
São duas límpidas e profundas sentenças, enaltecendo o amor que canta um hino à beleza e à verdade.
Encerrando a notável conferencia, Divaldo Franco ressaltou a assertiva que Allan Kardec cunhou: Trabalho, Solidariedade, e Esperança, significando que é necessário possuir coragem para viver os postulados da Doutrina Espírita nos embates diários com as sombras. O homem, para que possa espelhar e expressar Jesus em sua alma carente de Sua presença, terá que resistir aos arrastamentos, construindo o mundo de regeneração.
Declamando o Poema Meu Deus e meu Senhor, de Amélia Rodrigues, Divaldo foi efusivamente aplaudido pelo considerável público que, envolvido em bênçãos, se movimentava paciente e calmamente demandando seus locais de repouso. O amplo ambiente estava tomado de vibrações benfazejas, atendendo cada presente.
Texto: Paulo Salerno
Fotos: Jorge Moehlecke